Um artigo por dia?

Diversas vezes, ao longo de vários anos, li e ouvi que um(a) cientista precisa ler pelo menos um artigo científico por dia. E por muito tempo – acho que desde que entrei no doutorado, ou até antes – tentei seguir este ideal. E nunca consegui fazê-lo por mais de uma ou duas semanas por vez.

Mas eu sou um cientista… Modéstia à parte, com quatro artigos publicados este ano e com um a três artigos publicados por ano desde 2011, não sou um exímio cientistas mas também não estou muito aquém das espectativas… Então me pergunto – será um requisito mesmo ler artigos com tal frequência? Ou há outros caminhos?

Minha resposta é: não sei; mas sempre acho que há outros caminhos! Talvez ler um artigo por dia seja um ideal a ser perseguido; mas talvez não! Explico…

Continuar lendo

Não gosto de boxplots. #prontofalei

Não gosto de boxplots. E vocês?

Não que o fato de eu gostar ou não gostar de alguma coisa queira dizer algo. Só que acho eles bem pouco informativos, se apresentados sozinhos. Permitam-me exemplificar.

Imagine que você está estudando variação no comprimento de chifre de três populações de unicórnios: uma população de deserto, uma de floresta, e uma de montanha. Ao me referir à população de montanha não estou falando necessariamente de Monoceros montanus, espécie cuja estrutura populacional foi muito bem estudada pelo grande Stuart H. Hurlbert (1990); considerando a incrível capacidade de locomoção, dentre e entre mundos, de ao menos uma espécie de unicórnio (Sapkowki 1999), acredito que qualquer espécie de unicórnio poderia facilmente ter populações em diferentes ambientes, e, tendo ficado em um dado ambiente por tempo suficiente (por escolha, tornada possível pela já mencionada capacidade locomotora), variações inter-populacionais podem surgir. Não me parece impossível que uma destas variações seja no comprimento dos chifres, característica possivelmente sujeita a seleção sexual.

Continuar lendo

Pesquisa, ensino e extensão, e unicórnios

trespilares

Quais são as funções da Universidade, no Brasil e no mundo? E as atribuições de quem faz parte desta Universidade?i

Universidade é um centro de pesquisa por excelência, e também um centro de ensino, formando profissionais de alto nível. Mas esses dois aspectos ficam frequente restritos à própria Universidade, como instituição – boa parte do conhecimento gerado é altamente específico e uma parte considerável do ensino forma pessoas para continuarem pesquisando e formando mais pessoas para continuar pesquisando… E às vezes ainda se sente uma frustração quando alguém decide não continuar na universidade fazendo pós-graduação e prestando concursos para trabalhar com outras coisas. Que é uma frustração bem estranha, considerando que nem todo mundo tem vocação para trabalhar com ciência!

Continuar lendo